O Poder de soltar X

November 6, 2016

 

As ideias do paradigma não-real (contra o Todo) aos poucos tomam uma forma e influência que pretendem substituir o paradigma real. Essas ideias passam a existir por si sós e são extremamente importantes dentro do paradigma não-real. É assim que um mundo não-real é criado e mantido independentemente da realidade objetiva. Até que a realidade objetiva se imponha através da Teoria do Caos. 

 

Quando um ser se recusa a fazer qualquer coisa na vida é evidente que está dentro do paradigma não-real. A recusa em viver a vida real é o sintoma típico da alienação total em relação ao paradigma real. É por esta razão que acham as ideias do paradigma real confusas. Embora a simplicidade do paradigma real seja extrema. 

 

É desta forma que o paradigma não-real vive das próprias ideias de não realidade. É uma simbiose em que um depende do outro. Exatamente como o Ouroboros. Toda a construção do paradigma não-real e sua continuidade depende dessas ideias. Por mais que elas estejam fora da realidade objetiva. Na prática é uma ilha da fantasia absoluta. Mas, como toda ilha da fantasia mais cedo ou mais tarde a realidade se imporá. Ou se trabalha na construção ou na destruição. Não existe outra alternativa. Ou faz parte da solução ou do problema. Se está na destruição ou inércia a carência dos recursos objetivos se imporá em pouco tempo. É nesse ponto em que a solução pode aparecer, mas é preciso humildade para admitir que o paradigma não-real não funciona. Pelo livre arbítrio é possível persistir no não-real por muito tempo. 

 

As ideias do paradigma não-real precisam impor uma ritualística que pretende confirmar por si só a legitimidade do paradigma não-real. Toda essa imponência dá uma falsa ideia de que seja real. Toda a continuidade do paradigma não-real depende da aceitação desta ritualística. A imagética é fundamental para sensibilizar os sentidos e fazer a mente acreditar no paradigma não-real. A simbologia aqui é extremamente importante. 

 

As transições de estado dentro do paradigma não-real envolvem sempre grandes perigos e tensão. Faz parte intrínseca do paradigma não-real que seja assim. É uma luta titânica pelo controle do paradigma não-real. De qualquer forma a transição só pode ocorrer dentro do contexto das ideias que fundamentam o paradigma não-real. Isto é absolutamente claro e faz parte do jogo. O jogo só pode ser jogado dentro das ideias do paradigma não-real. A questão é que esse engessamento da realidade tem consequências inevitáveis. E neste ponto a Centelha Divina tem forçosamente de ser suprimida o máximo possível. Ela não pode interferir de forma alguma, pois caso contrário o paradigma não-real desapareceria.

 

Hélio Couto

www.heliocouto.com

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Novo vídeo: Sociologia do soltar

July 10, 2017

1/10
Please reload

Posts Recentes

January 28, 2017

January 3, 2017

January 1, 2017

December 4, 2016

November 21, 2016

November 19, 2016

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Hélio Couto - O Poder de Soltar - Todos os direitos reservados

Hélio Couto
Pat logo4.png
  • instagram
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon