O poder de soltar VI

November 6, 2016

 

A vida plena exige determinadas condições para frutificar. O paradigma real (do Todo) fornece estas condições. O paradigma não-real (negação do Todo) quer impedir estas condições ideais de vida. 

 

A simbologia usada pelo paradigma não-real parece inocente e é praticamente ignorada. A questão aqui é que não existe simbologia que não esteja imbuída de determinado sistema de valores e transmitindo energia polarizada negativa ou positiva. Acontece que no dia a dia esta simbologia é considerada como sem importância. Usa-se a simbologia sem considerar o alcance dela na manutenção do não-real. Pensa-se: que diferença faz usar tal símbolo ou não? Parece não ter nenhuma importância prática. Na verdade, a mínima atitude de soltar um símbolo é de extrema importância para a evolução do paradigma. É no detalhe, nas mínimas atitudes que o paradigma pode mudar. As pessoas mais simples podem ter um impacto enorme no paradigma. Quando a dois mil anos começaram a usar um peixe como símbolo isso mudou o mundo. Talvez alguns pensassem naquela época que não havia nenhuma importância em usar um peixe como símbolo. Todo símbolo transmite energia e toda energia muda outra energia. Desta forma quando alguém se recusa a usar um símbolo do paradigma não-real isso está provocando uma mudança de paradigma. Pode parecer que levará muito tempo, mas isso depende de outros fatores. A mudança pode ser muito rápida. A dinâmica do Caos mostra isso. E a Teoria das Estruturas Dissipativas de Prigogine (Nobel de Química) também.

 

O ideal de vida está nos símbolos que usamos. Tudo que fazemos transmite uma mensagem sobre nosso paradigma para os demais. É por isso que o bater das asas da borboleta provoca um furacão. Toda atitude condizente com o paradigma real tem um efeito cumulativo. Toda atitude é importante. Até a da pessoa mais simples que viva neste planeta.

 

Todo símbolo tem um significado superficial e outro profundo. Normalmente é usado o significado superficial para passar o significado profundo. Desta forma não se percebe o que se pretende passar com o uso do símbolo. É uma maneira de disfarçar a mensagem, embora o inconsciente do outro entenda o que se quer passar. Caso o significado profundo fosse utilizado abertamente haveria uma reação inconsciente de resistência ao que se está passando. É por esta razão que os símbolos parecem tão inocentes e sem importância. Embora seja exatamente o contrário. Na medida em que a percepção da realidade aumentar o significado profundo será entendido. Isso foi dito quando se falou: “Quem tem olhos, veja!”.

 

Hélio Couto

www.opoderdesoltar.com.br

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Novo vídeo: Sociologia do soltar

July 10, 2017

1/10
Please reload

Posts Recentes

January 28, 2017

January 3, 2017

January 1, 2017

December 4, 2016

November 21, 2016

November 19, 2016

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Hélio Couto - O Poder de Soltar - Todos os direitos reservados

Hélio Couto
Pat logo4.png
  • instagram
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon